Galibi Marworno

A adoção desta denominação étnica por uma parcela da população indígena da região do Uaçá é relativamente recente, remontando ao final da década de 1940, quando o Serviço de Proteção aos Índios (SPI) começa a atuar na região, identificando as famílias habitantes das ilhas do alto rio Uaçá como de origem Galibi, e passando a denominá-las assim. Porém, até então, tais famílias se autodesignavam como ‘gente do Uaçá’, e reconheciam-se como de origem heterogênea, incluindo entre si descendentes de povos Caribe e Aruaque, tais como Galibi, Maruane e Aruã, dentre outros. 

Mesmo assim, passaram a assumir o etnônimo Galibi desde a chegada do SPI, e, mais recentemente, no decorrer das décadas de 1980/90, orientados pelo Conselho Indigenista Missionário /CIMI, passaram a se definir como Galibi Marworno com o intuito de diferenciar-se dos Galibi do Oiapoque, grupo que não identificam como de origem comum.

Na década de 40 do século XX, orientados pelo SPI a residirem próximo à escola que estava sendo implantada, os Galibi Marworno passaram a viver concentrados em uma única aldeia, Kumarumã, na margem esquerda do rio Uaçá. Ali, durante duas décadas, a escola local promoveu o uso exclusivo, por parte das famílias Galibi Marworno, da língua portuguesa, bem como o respeito aos emblemas nacionais, como o Hino Nacional e o hasteamento da bandeira. Entre o final da década de 60 até o fim dos anos 80, a Funai e o CIMI passam a atuar na região, dando ênfase a novas prioridades, tais como a demarcação de terras, a realização de assembleias políticas regionais, bem como dando início a um novo projeto de educação específica e diferenciada, que incluía o incentivo ao reconhecimento da língua kheoul como língua materna. Apesar de Kumarumã continuar concentrando cerca de 85% da população total do grupo, nas últimas décadas surgiram quatro novas aldeias na rodovia BR-156, no rio Urukauá e no igarapé Juminã. Além da Funai, do CIMI e da MNTB, as agências de assistência que atuam entre os Galibi Marworno são a Fundação Nacional de Saúde/Funasa e a Secretaria de Educação/SEED, do governo do estado do Amapá.

programas

outros povos

Galibi Kali’na

Galibi Kali’na

Os Galibi Kali’na provenientes da região do rio Maná, no litoral da Guiana Francesa, tendo…
Karipuna

Karipuna

Os Karipuna são uma população bastante heterogênea do ponto de vista étnico. Famílias provenientes das…
Palikur

Palikur

Os Palikur são um povo do tronco lingüístico Aruaque. Existem registros muito antigos sobre esta…
Zo’é

Zo’é

Esse termo, que significa ‘nós’, é um classificador que diferencia este grupo de pessoas dos…
Povos Karib-Guianenses do Norte do Pará

Povos Karib-Guianenses do Norte do Pará

O que se sabe hoje, muito simplificadamente, sobre os povos indígenas karib-norte paraenses é que…
Wajãpi

Wajãpi

A primeira citação histórica a respeito dos Guaiapi data do século XVII, época em que…