Exposição Transfronteiriça

O Iepé – Instituto de Pesquisa e Formação Indígena e o Museu Kuahí dos Povos Indígenas do Oiapoque convidam para a Exposição Transfronteiriça “Memória e Identidade dos Kali’na Tïlewuyu”, composta pelas mostras “Eles Partiram para o País dos Brancos – 1882 e 1892” e “Os Galibi Kali’na Tïlewuyu do Brasil – 1950-2010”, com abertura no próximo dia 19 de abril, em Oiapoque, Amapá.

Convite_exposicao_museu_kuahi

A exposição “Eles partiram para o País do Brancos – 1882 e 1892” retrata a história de um grupo de índios Galibi-Kali´na que no final do século XIX, em 1882, 1883 e 1892, foram levados à França e Holanda para serem expostos nas grandes exposições da época, como representantes dos povos “selvagens” do Novo Mundo. De acordo com as idéias evolucionistas da época, representavam os primitivos da humanidade. Em Paris, no Jardin d´Acclimatation os índios tinham um lugar para desenvolver suas atividades de produção de artesanato e mostrar suas danças e músicas frente a numerosos visitantes curiosos que desfilavam naquele espaço. Devido às circunstâncias adversas, alguns índios Galibi ficaram doentes e nunca voltaram à Guiana Francesa. Na França, este episódio foi fotografado e registrado pelo príncipe Roland Bonaparte. Há também recortes de jornais da época, documentos históricos, hoje preciosos para a recuperação da memória deste doloroso evento.

A exposição “Os Galibi Kali’na Tïlewuyu no Brasil – 1950 – 2010” registra uma história de viagem, ocorrida no séxulo XX. As famílias Galibi Kali’na Tïlewuyu que hoje vivem na Terra Indígena Galibi, no baixo Oiapoque, chegaram ao Brasil em julho de 1950 após uma longa viagem pelo oceano, saindo da aldeia Couachi, às margens do rio Maná, na Guiana Francesa, até chegar em terras brasileiras, onde pretendiam se instalar. Os protagonistas desta viagem, Geraldo Lod, Julien Lod, Joseph JeanJacques e seus familiares, ao todo 38 pessoas, migraram por vontade própria e de comum acordo. No Brasil, fundaram a aldeia São José dos Galibi, em Oiapoque. As famílias recém chegadas se adaptaram rapidamente ao novo ambiente e construíram uma rede de ótimas relações com os povos indígenas da região, os habitantes da cidade de Oiapoque e os militares de Clevelândia.

A memória e a história são aspectos comuns às duas exposições, que são uma homenagem aos antepassados Galibi Kali’na, aos Kali’na que vivem na Guiana Francesa e, especialmente, ao senhor Geraldo e Julien Lod enquanto fundadores da aldeia São José dos Galibi, no Brasil. Com estas exposições, que relatam eventos ainda tão presentes na memória indígena, o Museu Kuahí e o Iepé esperam estreitar mais uma vez os laços de cooperação entre os povos indígenas do Oiapoque e da Guiana Francesa.

Esta exposição integra as atividades de formação de pesquisadores indígenas e de registros e valorização cultural que vêm sendo realizadas pelo Iepé – Instituto de Pesquisa e Formação Indígena no âmbito do Pontão de Cultura, “Arte e Vida dos Povos Indígenas do Amapá e norte do Pará”, financiado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) do Ministério de Cultura (MinC). A exposição ficará aberta à visitação de abril a dezembro de 2010, no Museu Kuahí, Av. Barão do Rio Branco, 160 – Oiapoque – Amapá.

A inauguração da exposição será no dia 19 de abril, às 10 hs, quando também será feito o lançamento do livro “O Turé dos Povos Indígenas do Oiapoque”, escrito pelos pesquisadores indígenas do Museu Kuahí e publicado pelo Iepé e Museu do Índio-Funai. Uma mostra em banners sobre o ritual do Turé acompanha o lançamento do livro.

Ficha técnica:

Curadoria:

Lux Vidal

Cenografia e Montagem:

Anne Courtois-Vidal

Equipe do Museu Kuahí

Realização:

Iepé e Museu Kuahí

Apoio:

Iphan/MinC, Museu do Índio – Funai, Embaixada da Noruega, Rainforest Foundation, Prefeitura Municipal de Oiapoque e Secretaria de Cultura do Estado do Amapá.

Agradecimentos:

Comunidade Galibi Kali’na de São José do Oiapoque, Comunidade Kali’na de Awala-Yalimapo, Gérard Collomb e Félix Tiouka.

Baixe aqui o folder da exposição