Inaugurada exposição sobre os Galibi Kali´na no Museu Kuahí, Oiapoque

Enriquecendo as atividades comemorativas da Semana do Índio, no último dia 19 de abril de 2010, foi inaugurada no Museu Kuahí dos Povos Indígenas do Oiapoque, na cidade de Oiapoque, a exposição transfronteiriça Memória e Identidade dos Kali’na Tilewuyu – Eles Partiram para o País dos Brancos (1882 e 1892) e Os Galibi Kali’na Tilewuyu do Brasil (1950-2010).

O evento contou com a presença de Alexis Tiouka, representando a comunidade Kali’na de Awala-Yalimapo, e de Pierre Grenand e Françoise Grenand, do CNRS. Também estiveram presentes representantes da FUNAI, da Prefeitura Municipal de Oiapoque, da Câmara dos Vereadores, de escolas estaduais e municipais e das comunidades indígenas de Oiapoque. A família Lod, representada pelos senhores Julien e Gregório, ficou bastante emocionada com a homenagem.  Após a abertura oficial e visitação da exposição foi oferecido aos presentes um coquetel.

Esta exposição, que contou com a curadoria de Lux Vidal e com projeto cenográfico de Anne Courtois-Vidal, integra as atividades de formação de pesquisadores indígenas e de registros e valorização cultural que vêm sendo realizadas pelo Iepé, no âmbito do Pontão de Cultura, “Arte e Vida dos Povos Indígenas do Amapá e norte do Pará”, financiado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) do Ministério de Cultura (MinC).

De acordo com Lux  Vidal, curadora da mostra, a exposição realçou, através de uma cenografia conceitual e esteticamente adequada, fatos bastante extraordinários e hoje bem documentados e que reiteram a percepção de que eventos históricos são sempre lembrados e mitificados pelos índios. “Pela primeira vez ficou claro que possivelmente a migração dos Galibi Kali’na, em 1950, de Mana para o Brasil foi uma das últimas migrações voluntárias feita por índios e que os Galibi Kali’na do Oiapoque fazem parte de uma história e geografia social regional, nas quais esse povo, através de diferentes cisões, ocupa hoje cinco países diferentes, desde a Venezuela até o Brasil. Desde modo, esta exposição reinsere, no processo histórico transfronteiriço, o pequeno grupo brasileiro e sua trajetória específica”, explica Lux Vidal.

A exposição ficará aberta à visitação de abril a dezembro de 2010, no Museu Kuahí, Av. Barão do Rio Branco, 160, Oiapoque.

exposicao_kalina2

 

exposicao_kalina