Wajãpi visitam experiências de criação de animais silvestres

Entre os dias 18 e 26 de abril de 2010, um grupo de quatro Wajãpi, com apoio do Iepé, esteve na cidade de Belém, Pará, para conhecer experiências de criação de animais silvestres. A viagem de intercâmbio integra o projeto “Apoio a experiências indígenas em gestão territorial e ambiental no Amapá e Norte do Pará”, desenvolvido pelo Iepé com apoio técnico-financeiro do Ministério de Desenvolvimento Agrário (MDA).

Neste intercâmbio, Jakyri Wajãpi, Sava Wajãpi, Marãte Wajãpi e Nazaré Wajãpi, realizaram visitas supervisionadas em diferentes recintos para a apreciação de criações em cativeiro de diversos animais silvestres e puderam estabelecer contato com vários especialistas, aprendendo técnicas e cuidados necessários ao sucesso de experiências de criação de animais.

Visitas guiadas – No Museu Paraense Emílio Goeldi, com a supervisão do veterinário Messias Costa, foram visitados os recintos dos animais criados no Parque Zoobotânico, e realizado o acompanhamento do trabalho de limpeza e alimentação dos animais. Lá, os Wajãpi puderam observar a prática de criação de cutias e os procedimentos de captura, sedação, exame e soltura.

Criatórios extensivos foram observados no Tenoné: os Wajãpi puderam conhecer aspectos práticos da criação de queixadas, caititus, antas, capivaras, jacarés, aves, quatis e jabutis. No Jardim Zoobotânico da Amazônia – Bosque Rodrigues Alves, a floresta primária foi observada, assim como a fauna livre, peixe-boi e tucunarés. O grupo visitou ainda o Parque Ambiental Mangal das Garças, sendo guiados pelo biólogo Igor Seligmann, onde puderam observar aves livres e outras criadas em grandes viveiros. Na UFPA, o grupo foi recebido pela professora Diva Guimarães que apresentou técnicas para identificar e marcar animais e criações de pacas e cutias em recintos pequenos. A alimentação balanceada e possíveis complementos vitamínicos também foram tema desta visita.

Na Embrapa, Natália de Albuquerque apresentou o criatório de caititus. Os Wajãpi puderam observar os cuidados com segurança do criatório deste órgão que, além tela e mureta, contam com uma vala preenchida por pedra e cascalho, que impede a fuga, e a entrada indesejada de outros bichos nos recintos. Ainda na Embrapa, foi realizada visita na criação de abelhas sem ferrão.

De volta a Macapá, os Wajãpi irão apresentar o que viram e o que aprenderam em reuniões comunitárias. Os Wajãpi pretendem iniciar uma experiência de criação de animais silvestres em sua terra indígena, ainda este ano.

 

animais_silvestres_1

animais_silvestres_2