Índios do Amapá participam de intercâmbio ao Xingu

Uma delegação constituída por 7 representantes indígenas do Amapá participam de 16 a 30 de outubro de um intercâmbio ao Parque Indígena do Xingu para conhecer e discutir experiências de gestão do entorno das terras indígenas. Convidados pelo Iepé, representantes Wajãpi, Tiriyó, Kaxuyana e Karipuna irão se juntar a outros 20 representantes indígenas de diferentes regiões da Amazônia para participar desta viagem, que deverá percorrer várias aldeias dentro do Parque Indígena do Xingu, conhecendo diferentes experiências de gestão territorial, e visitar áreas em seu entorno. No final da viagem, o grupo realizará um seminário de sistematização visando discutir estratégias de como lidar com a gestão regional das terras indígenas.
O intercâmbio ao Parque Indígena do Xingu é promovido pela Rede de Cooperação Alternativa – RCA Brasil. A RCA-Brasil é uma aliança entre organizações indígenas e indigenistas que atuam na Amazônia brasileira, e está voltada à troca de conhecimentos e experiências, visando fortalecer a autonomia e ampliar a sustentabilidade dos povos indígenas no Brasil. O Iepé e o Apina – Conselho das Aldeias Wajãpi integram a RCA, sendo que desde 2009, o Iepé abriga sua secretaria-executiva.
O Parque Indígena do Xingu, em Mato Grosso, foi o local escolhido para sediar o intercâmbio coletivo das organizações que integram a RCA em 2010, concluindo um ciclo de intercâmbios coletivos, iniciado em 2007, centrado na temática da gestão territorial e ambiental das terras indígenas. Naquele ano, a RCA realizou um intercâmbio para a região do Rio Negro. Representantes dos povos indígenas de diferentes regiões da Amazônia viajaram para o município de São Gabriel da Cachoeira (AM) e de lá viajaram por rios distintos, com o objetivo de conhecer as estratégias de gestão territorial e ambiental implementadas pela Foirn e pelo ISA naquela região. Em 2009, a RCA ampliou a discussão aprofundando o tema da gestão territorial, promovendo um novo intercâmbio para o Acre com o tema “Formação para a gestão territorial e ambiental das Terras Indígenas”, que reuniu 40 pessoas – entre lideranças, agentes ambientais e professores indígenas provenientes de 18 povos distintos. Os participantes viajaram para a Terra dos Ashaninka, visitaram o Centro de Formação Yorenka Ãtame (em Marechal Tamaturgo) e conheceram as experiências de gestão territorial implementadas por esse povo. E agora, de 16 a 30 de outubro de 2010, a RCA conclui esse ciclo de intercâmbios, realizando um intercâmbio coletivo para a região do Xingu, com o intuito de por em discussão a questão da gestão do entorno das terras indígenas. Nos últimos anos, um verdadeiro “abraço de morte” cercou o Parque do Xingu, com uma crescente deterioração das condições ambientais do seu entorno, resultado do desmatamento intenso, praticado pelas fazendas com plantação de soja e criação de gado, poluição e assoreamento dos rios e afloramento de conflitos ambientais. A situação ganhou projeção internacional e um conjunto de ações foram postos em marcha para reverter esse quadro. Conhecer essas experiências, interagir e aprender com elas constituem a idéia básica que orienta a realização do intercâmbio da RCA em 2010. No roteiro da viagem, os participantes conheceram as aldeias dos Yawalapiti, Kaiabi, Kuikuro, Kisêdjê, Ikpeng, além do PI Diauarum. O intercâmbio termina com um encontro de sistematização sobre o contexto regional e as estratégias de gestão territorial nas terras indígenas.