Observatório vai monitorar políticas sobre economia da sociobiodiversidade

Buscando economia com igualdade social e equilíbrio ambiental no respeito aos direitos territoriais dos povos, entidades lançam o Observatório da Economia da Sociobiodiversidade.

Texto: Maria Silveira | 07 de junho de 2022

O lançamento do Observatório da Economia da Sociobiodiversidade – ÓSocioBio aconteceu na última semana na Câmara dos Deputados, em Brasília, em parceria com a Frente Parlamentar Ambientalista reunindo organizações socioambientais e de movimentos sociais do campo ligados à economia dos produtos da sociobiodiversidade e de seus territórios, entre elas, o Iepé.

O ÓSocioBio é um coletivo que irá fortalecer e monitorar políticas públicas no Congresso Nacional relacionadas a povos indígenas, comunidades tradicionais e agricultores familiares ligados ao agroextrativismo e à sociobiodiversidade, garantindo a sustentabilidade no desenvolvimento econômico e social do Brasil.

Para Natasha Mendes, assessora de cadeias produtivas do Iepé, a criação do ÓSocioBio significa a cobrança de compromissos do poder público com a valorização da economia das populações tradicionais: “Fazer parte deste movimento é contribuir com a esperança de tempos melhores e políticas públicas mais assertivas, garantindo a sobrevivência e segurança alimentar da Amazônia”, afirma a assessora.

A iniciativa começou a ser construída a cerca de seis meses com a urgência de pensar a conservação ambiental conectada ao desenvolvimento da bioeconomia diante do desvirtuamento da temática em muitas matérias legislativas relacionadas à economia da sociobiodiversidade, gerando confusão sobre o tema no Parlamento e na sociedade.

Leia a carta de criação do Observatório da Economia da Sociobiodiversidade que foi apresentada no lançamento do coletivo. No dia 22 de junho, o observatório irá ao Senado Federal apresentar suas propostas para o próximo governo