Iepé tem novo Conselho Diretor e associados

Em assembleia de sócios, foram eleitos os novos membros do Conselho Diretor e Conselho Fiscal, além de novos associados para a instituição. Conheça quem são eles.

Texto: Iepé | 13/10/2021

O Iepé – Instituto de Pesquisa e Formação Indígena tem, a partir de outubro, um novo quadro para o Conselho Diretor e o Conselho Fiscal. A eleição se deu na assembleia de sócios, ocorrida dia 30 de setembro, no escritório do Iepé em São Paulo.

Confira a nova configuração:

Presidente: Nina Kahn, indigenista, com atuação focada na formação de professores e gestores de organizações indígenas.

Secretária: Lúcia van Velthen, doutora em Antropologia Social  e pesquisadora do Museu Paraense Emílio Goeldi-MCTI. 

Tesoureiro: Ruben Caixeta, doutor em Antropologia Social e professor da Universidade Federal de Minas Gerais.

Na presidência do Iepé desde 2016, a Prof. Lux Vidal agradeceu a colaboração de todos os associados e da equipe do Iepé, e deu boas vinda à Marina Kahn, eleita para assumir a presidência do instituto. 

Segundo Marina Kahn, sua nomeação vem junto à admiração ao trabalho do Iepé e senso de responsabilidade. “Respeito o jeito que o Iepé se coloca no mundo das ONGs indigenistas: começa na pesquisa, se detém na escuta, tateia oportunidades e vai fazendo, aprofundando e batalhando muito para deixar tudo redondo no árduo terreno do ‘mercado de projetos’ direcionado à defesa dos territórios indígenas”, disse. “A professora Lux Vidal – a quem venho substituir na posição de presidente do Conselho do Iepé – deixou ali sua marca de excelência e suavidade. É ousado vir a encabeçar a tomada de decisões do Iepé com essa turma de colegas cuja carreira admiro, a formação respeito e a tenacidade me surpreende. Me esforçarei no exercício do acolhimento de ideias para estimular o Iepé a prosseguir como é fazendo o que faz.” 

Já o novo Conselho Fiscal será composto por Ruben Caixeta (tesoureiro eleito na assembleia), Cássio Noronha (administrador e antropólogo, trabalha com povos indígenas e comunidades tradicionais desde 1995 e atua por meio da empresa Comtexto Consultoria) e Maria Bernadette Franceschinni (cientista social, foi membro do Centro de Trabalho Indigenista até 2005 e foi presidente do Iepé de 2014 a 2016). 

Na assembleia também foram aprovados quatro novos associados do Instituto Iepé: Rita Becker (antropóloga, hoje coordenadora do Programa Oiapoque), Biviany Rojas Garzón (advogada, coordenadora do Programa Xingu do Instituto Socioambiental), Raul do Valle (advogado, diretor de políticas públicas do WWF-Brasil)  e Mariana Maleronka (médica, professora da Faculdade Albert Einstein).