Casai Macapá reabre após reforma apoiada pelo Iepé

Casa de Apoio à Saúde Indígena poderá atender pacientes e seus acompanhantes com melhor estrutura de ambulatórios e hospedagem. Foram mais de R$ 200 mil doados pelo Iepé.

Texto: Iepé | 10 de fevereiro de 2022

Foram oito meses de reforma e reestruturação até que a Casa de Apoio à Saúde Indígena (Casai) de Macapá finalmente fosse entregue à comunidade na segunda-feira, 7 de fevereiro. As Casais são voltadas a pacientes indígenas que necessitam exames e tratamentos de média e alta complexidade e que estão fora de suas comunidades. Quando a pandemia do novo coronavírus teve início, no entanto, a Casai Macapá não tinha estrutura adequada para acolher os pacientes com Covid-19 e seus acompanhantes, principalmente diante das especificidades da doença.

Entendendo a importância das Casais para a saúde e o bem-estar dos povos indígenas, o Iepé – Instituto de Pesquisa e Formação Indígena conseguiu o apoio da Embaixada da França e fez uma doação de R$ 211.086,94 para reforma e adequação dos espaços. 

Ambulatório da Casai Macapá depois da reforma e adequação. Quando a pandemia da Covid-19 começou, notou-se que as estruturas da Casai não estavam adequadas para receber os pacientes e acompanhantes, principalmente pela especificidade da doença e a necessidade de isolamento social. (Foto: Divulgação Apoianp)

Esse valor foi direcionado à compra de materiais de construção e ao pagamento dos serviços durante as obras. Além disso, o Iepé doou colchões napados, redes, lençóis, mosquiteiros, bebedouros, dispensers para álcool gel com e sem pedal, mesas e cadeiras para o refeitório, máquina de lavar roupa, estantes, materiais de escritório, materiais de limpeza e de higiene. De agosto de 2020 a janeiro de 2022 foram doados pelo Iepé mais de 20 mil máscaras cirúrgicas triplas descartáveis para os pacientes e acompanhantes indígenas na Casai Macapá. Para saber mais das doações, veja a lista completa no final da página.

Área de hospedagem da Casai Macapá, onde estão as malocas com local para redes, assim os indígenas podem passar dias ali de forma confortável e segura (Foto: Divulgação Apoianp)

Localizada no bairro Alvorada, na Zona Oeste de Macapá, a Casai agora tem capacidade para fazer 100 atendimentos diários, entre consultas, acompanhamento médico e serviços sociais. Sua gestão é feita pelo Distrito Sanitário Especial Indígena (Dsei) que atende o Amapá e o norte do Pará. Essa área de atuação corresponde a mais de 13 mil indígenas de 10 etnias, que inclusive são parceiros de longa data de trabalhos do Iepé. Além dos valores do Iepé, as obras foram feitas com uma verba destinada por uma emenda parlamentar do deputado federal Camilo Capiberibe (PSB/AP).

>> Saiba mais sobre nossas áreas de atuação no link.

Situação da Casai Macapá em março de 2021, antes da reforma e reestruturação. O Iepé conseguiu o apoio da Embaixada da França para doar parte da verba usada nas obras. (Foto: Acervo Iepé)

Com a reforma dos ambulatórios e área de atendimento médico, a Casai também recebeu novas áreas de hospedagem (com malocas e redes) para isolamento, ambientes de lazer, como a área infantil, banheiros e cozinha adequados. 

A importância das Casais

De acordo com a Política Nacional de Saúde Indígena, as estruturas de saúde existentes nas terras indígenas são para atendimento primário e quando há necessidade de atendimentos mais complexos, os pacientes são encaminhados para as Casas de Apoio à Saúde Indígena dos municípios de referência. Ali eles são recebidos e acolhidos. Durante a estadia, os indígenas acessam atendimentos na rede de serviços do Sistema Único de Saúde (SUS).

Com o agravamento da pandemia, produzimos materiais informativos sobre os cuidados para evitar o contágio pelo novo coronavírus. Além dos banners, colocados nas paredes da Casai, produzimos vídeos e cartilhas. (Foto: Acervo Iepé)

Desde o início da pandemia, as Casais foram ainda mais importantes para receber pacientes com Covid-19. Ali eles podem ter acompanhamento até a recuperação ou, quando necessário, ser encaminhados a locais com mais recursos, como hospitais municipais.

“Estamos felizes em contribuir para a melhoria do espaço de acolhimento para indígenas do Amapá e norte do Pará. Esperamos que, com esta nova estrutura, os cuidados em relação ao isolamento dos pacientes com Covid-19 sejam observados e que os tratamentos sejam feitos de forma adequada com segurança e conforto tanto para os pacientes e quanto para seus acompanhantes, que também usufruem da estrutura da nova Casai”, diz Juliana Rosalen, antropóloga e coordenadora do Programa Wajãpi do Iepé.

Fornecimento de kits de higiene pessoal e de limpeza para pacientes e acompanhantes que se encontram em tratamento na Casai Macapá, em março de 2021. Com a intensificação da pandemia naquele período, a Casa de Saúde Indígena encontrava-se lotada. (Foto: Acervo Iepé)

Juliana acompanha de perto a situação e a evolução da pandemia entre os povos indígena do Amapá e destaca a importância dos espaços para aqueles que apresentam sintomas. “A Casai agora conta com um setor específico para isolamento e todas as malocas possuem uma estrutura de arejamento mais adequada. Também houve uma melhora significativa na estrutura dos banheiros que anteriormente não contavam com uma estrutura básica”, destaca.

>> Acesse os materiais produzidos pelo Iepé sobre o combate à pandemia.

Grupo de wajãpi após receberam máscaras cirúrgicas para evitar a contaminação pelo novo coronavírus. Entre agosto de 2020 e janeiro de 2022, o Iepé entregou mais de 20 mil máscaras descartáveis para os pacientes da Casai Macapá e seus acompanhantes. (Foto: Acervo Iepé)
 Durante as obras, uma comissão de conselheiros distritais de saúde indígena visitou o espaço para acompanhar as mudanças. (Foto: Acervo Iepé)

O que o Iepé entregou para a reforma da Casai Macapá*:
De agosto de 2020 a janeiro de 2022, foram 20.854 unidades de máscaras descartáveis para os pacientes da Casai Macapá e seus acompanhantes. Outros itens doados estão na lista abaixo:


– toucas sanfonadas
– aventais
– sapatilhas propé
– Máscaras de proteção PRR-2 N95
– Bebedouros de coluna
– Máquina de lavar 16kg
– Central de ar 12000 btus
– Ventiladores de teto
– Balança eletrônica para pesar bebê
– Mesas quadrada plástica
– Poltronas plástica p/refeitório
– Colchões napados de solteiro
– Lençóis brancos
– Capas de colchão impermeável
– redes de algodão
– Toalhas de banho
– Água sanitária
– Detergentes líquido (500 ml)
– Detergentes em pó (500g)
– Gel higienizador para mãos (440g)
– Pacotes de papel higiênico
– Sabão em barra pintado
– Sabonetes
– Cremes dentais
– Desinfetantes
– Inseticida
– Sabão em barra
– Álcool gel bactericida (220g)
– Panos crus
– Rodos
– Sacos para lixo
– Vassouras
– Livros ata
– Pastas suspensa plástica (prontuários)
*Além desses itens, também houve doações de materiais para as obras ao longo dos meses de reforma